terça-feira, 12 de abril de 2016

Dois desejos.

Quem seríamos nós,
se não dois corpos ardentes,
dois corpos que pulsa e sente
desejos, beijos, malícias?

Quem seríamos nós,
se não apenas querer...
querer, poder por fazer-se,
ali ou aqui que estamos?

Desnudos, despidos, nus,
revestidos de corpo e suor.
Seriamos sim o que somos;
formas, alma, sexo; nós.

Anderson Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário