terça-feira, 21 de maio de 2013

Esse poema.


Esse poema tem asas curvadas,
tem águas turvas,
tem cheiro de mato,
tem gosto de tudo o que é poema.

Tem olhos que veem
e boca que fala...

Pés descalços que pousam duros,
mãos macias que fazem carícias...

Esse poema é moço atrevido!
Seduz com palavras as moças que chegam,
as filhas que oram por outros desejos.

Esse poema tem asas curvadas
e sabe voar como ninguém.

Anderson Oliveira.

2 comentários:

  1. O seu poema me deu vontade de voar - não só pela imaginação.

    ResponderExcluir
  2. Quem me dera também ter asas e poder voar, tal qual esvoaçante poesia...!
    Lindo, querido! Parabéns!

    ResponderExcluir