quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Fotografia


Eu a amei na fotografia
não pensando mais que um dia,
amá-la eternamente.

E a amei tão diferente,
resplandecendo à nascente;
um novo sol que ardia.

Regido pelo destino,
quis sonhar como um menino
que encontra o amor primeiro...

Beijei-a tão docemente...
Amor laçado – imponente
de janeiro a janeiro.

Anderson Oliveira.

2 comentários:

  1. Eu já disse que esse poema é lindo, né? Lindo de se ler e fechar os olhos..

    ..Beijos!

    ResponderExcluir
  2. É lindo mesmo! rsrs
    Desses amores arrebatadores que nascem nos corações dos poetas...

    ResponderExcluir