sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

De longe.


De longe...
Quem vem?
É a saudade do meu querer bem!
Vem das doces falésias
donde o mar beijou a terra...
Donde o canto da sereia
misturou-se à areia
que trouxeste nos teus pés.
Foi de lá, menino...
Que veio a saudade dela!

Anderson Oliveira.

Um comentário: