segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Menino-poesia.


Eu conheci um menino,
cujo nome, Severino;
queria ser diferente.
Tomou nas mãos o destino,
não querendo ser menino,
gostava de não ser gente.
Queria ser outra coisa,
de outra espécie seria...
Eu conheci um menino
que não querendo ser gente,
preferiu ser poesia.

Anderson Oliveira.

2 comentários: